• estaciosvaloi

Porto de Mocímboa em mãos terroristas


Estacio Valoi


O porto de Mocimboa da Praia foi tomado está madrugada pelos terroristas que ensobram a província

de Cabo Delgado desde outubro de 2017, apurou o Moz24h de fontes no distrito. A tomada do porto, um lugar estratégico pelo acesso ao mar, é o culminar de várias incursóes que os terroristas vinham empreendendo nos últimos dias e, só não aconteceu antes devido a resposta das forças de defesa e segurança.


Por várias vezes, desde a eclosão da guerra terrorista, Mocímboa da Praia tem sido sistematicamente alvo de ataques terroristas que se iniciaram a 05 de Outubro de 2017. Há quase três anos que a guerra em curso já causou mais de 1500 mortes entre civis e militares, cerca de 250.000 deslocados e destruição de várias infra-estruturas.


Muitas famílias ainda por localizar


“Estamos a sofrer, não conseguimos localizar as outras famílias. Os bandidos fecharam Awasse. Todas as aldeias que ainda tinham la pessoas foram completamente destruídas, acabaram todas. Ate tomaram o porto de Mocímboa, mais ninguém pode voltar para casa.

As pessoas que ainda estavam na vila espalharam-se, fugiram, vem a pé’, outros vão a Nangade outros subiram no barco para Pemba. Até agora outro meu amigo esta no barco, acabou de enviar-me uma mensagem, depois de fugir de Mocímboa foi para Palma, não conseguiu voltar a Mocímboa, agora esta a ir a Pemba. Na segunda-feira quando os ataques dos bandidos começaram a intensificar-se foi quando muitos começaram a fugir. Mas os ataques mesmo começaram no sábado último.”


Mortes de civis também aumentaram e pouco ou nada restou


Segundo fontes do Moz24h no terreno os terroristas irromperam aos tiros sobre a vila ainda ao alvorecer e todos corriam para onde podiam.

“Os bandidos entraram no dia seis de madrugada. A irmã da minha falecida Mãe morreu na noite do dia cinco, o enterro foi feito no mato enquanto fugiam, correr. Só recebemos as crianças que chegaram a Montepuez, filhos de um tio que morreu, e na casa em que estamos são um total de quinze crianças. Não se sabe o paradeiro dos pais. As crianças formam encontradas pelo caminho.

Um motorista que ia a Montepuez deu-lhes boleia. La no bairro Nanchimele um bairro em Mocímboa que restava ficou um tio nosso que estava doente, disseram que já degolaram todos. Não conseguimos enterrar o nosso tio, esta a apodrecer assim mesmo.”


Desta vez os militares chegaram a tempo mas pareceu que os terroristas já estivessem a espera.


“Tinham la militares, morreram muitos. No dia 5 foram dessaseis carros. Eram sim dessaseis carros, camiões, machibombo para Mocímboa, cheio de soldados. Eles nem conseguiram dormir. Desceram, dormiram de noite mas na madrugada os bandidos entraram. Até tem um que vivia perto do bairro Mumo na machamba, disse que antes de ontem passou a correr saindo de Mumo para Diaca, pela estrada viram sete corpos de soldados mortos, no meio da estrada.”


Uma dos militares sobreviventes segundo nossas fontes também confirmou o facto “ nosso sobrinho que é soldado que esta lá em Mueda disse assim que “sofremos muito, morreram muitos meus companheiros.” Esta coisa é muito grande. Esta coisa esta como a guerra de Líbia, mesmo. Os bandidos são capazes de transformar Mocímboa em seu território, Mocímboa ser deles mesmo."


Muitos ataques sobre Mocímboa da Praia. Segundo fontes locais que se puseram em fuga, desde o Rio Montepuez ate Rovuma parece estar a merce do grupo terrorista.


“ Isto começa no rio Montepuez até Rovuma porque eles atacaram desde Quissanga que faz fronteira com o rio Montepuez. Agora Quissanga, Meluco, Macomia até Mocímboa, toda essa zona. Em Quissanga limparam todas as aldeias, em Macomia também, e, em Mocímboa, antes de ontem foi quando limparam, destruíram as aldeias que ainda restavam, limparam tudo, antes de ontem não deixaram nenhuma aldeia. Porque ali faltava Mamoma, Comangano, Malinde e Quelimane. Agora limparam tudo. Só desta vez os bandidos conseguiram limpar Quelimane.”

Estamos muito mal, não conseguimos viver, não tem espaço onde conseguir uma palhota, não tem trabalho. Disseram novos deslocados.

O Moz24h também contactou outras fontes das FDS e segurança privadas que reconfirmaram que a vila de Mocimboa da Praia – Porto foi tomado pelos terroristas “ Sim o porto foi tomado.”

5,325 views0 comments

Subscribe our newsletter

  • facebook

Ficha técnica

Director Editorial: Luís Nhachote (+258 84 4703860)

Editor: Estacios Valoi 

Redaçao: Germano de Sousa, Palmira Zunguze e Nazira Suleimane

Publicidade: Jordão José Cossa (84 53 63 773) email jordaocossa63@gmail.com

 

NUIT: 100045624

Nr. 149 GABIFO/DEPC/2017/ MAPUTO,18 de Outubro  

Endereço Av. Cardeal Don Alexandre dos Santos 56 (em Obras)

© By BEEI